Fundação Cultural Cassiano Ricardo

Os artistas se apresentam em ruas, praças, parques, escolas, entre muitos outros / Foto: Paulo Amaral

Viver da própria arte é o objetivo de muitos artistas independentes que vem sendo conquistado por meio do projeto Arte nas Ruas, desenvolvido pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR). Em três anos, o número de artistas cadastrados por edital cresceu de 8 para 50. Com o cadastramento, eles passaram a ter maiores oportunidades de trabalho, recebendo orientação e qualificação profissional.

O projeto, que surgiu em 2017, visa valorizar a arte de rua, melhorar as condições de apresentações dos artistas, muitas vezes marginalizados pela sociedade, além de oferecer formalidade no trabalho profissional e integração entre eles. No terceiro edital, aberto no início deste ano, todos eles já se apresentaram como pessoa jurídica, sendo MEI (Microempreendedor Individual) ou pertencendo a uma associação jurídica.

Hoje é possível encontrar esses artistas de rua em diversos espaços e ações culturais de São José dos Campos, sejam em ruas, praças, parques, escolas, lugares públicos e privados, levando acrobacia, equilibrismo, malabarismo, palhaçaria, cosplay, dança, música e teatro à população.

A gratidão em poder participar do projeto é um sentimento comum aos artistas, que também percebem o privilégio da interação entre os vários artistas e a descentralização da cultura como benefício tanto para que faz a arte quanto para quem a consome.

“Foi fascinante para mim poder conhecer outros artistas, outras artes e também ter horários de trabalho, para onde ir...”, disse o artista de rua, Diego Moyano, morador da região leste, profissional em Cosplay.

O artista Ronny Christian, que sempre trabalhou nas ruas, acreditou no projeto logo no começo. “Depois que conheci o Arte nas Ruas, ele virou para mim uma escola maravilhosa, principalmente pela junção e união de vários artistas dentre várias modalidades de arte”.

A malabarista Larissa se inscreveu no segundo edital depois de ver seus amigos felizes no projeto. A artista reconhece a oportunidade que a FCCR oferece para os diversos profissionais que vivem da arte de rua, abrindo mais espaço para o desenvolvimento e profissionalização do trabalho.

Espetáculo 1

A interação entre os artistas de oito segmentos se transformou no “Espetáculo 1”, que estreou no Teatro Municipal, em novembro, trazendo ao palco o tema Empatia. Para a FCCR, o espetáculo mostra os efeitos positivos do projeto, revelando a evolução dos artistas e a união como um corpo coletivo, superando as expectativas.

“Ter a oportunidade de mesclar as nossas artes e trabalhar em conjunto é uma reivindicação que nós artistas tínhamos há muito tempo, porque valoriza muito a nossa arte. Ter a oportunidade de realizar um trabalho coletivo foi muito importante”, disse a malabarista Larissa, que participou da apresentação.

Sob direção artística de Robson Jacqué, a apresentação reuniu os artistas também no processo de criação da montagem, como é o caso de Ronny, que além de participar do elenco, atuou como assistente técnico de direção. “O espetáculo foi uma prova do potencial que nós temos para coisas maiores”, afirmou.

 

Publicado em: 16/12/2019

Programação


 

Links