Fundação Cultural Cassiano Ricardo

Maio é o mês de celebrar a vida e obra do cantor jamaicano Bob Marley. Por isso, nesta segunda (6), o projeto Pontos de Vista, do Núcleo de Ação Cultural Descentralizada (NACD), no Centro da Juventude (região sul), recebe a exposição ‘Bob Marley e o Reggae Em Movimento: A Arte E O Imaginário Rastafari’ em homenagem ao cantor.

A mostra tem curadoria artística de Jah Reginaldo Titu, que também fez a pesquisa de conteúdo, juntamente com Andréia Dacal. É composta por dez desenhos com tamanhos variados, feitos com lápis de cor, tintas nanquim e acrílica, latex, fogo, algodão e outras técnicas. Também compõem a exposição três esculturas.

Todas as obras referenciam a ancestralidade do reggae como movimento cultural e sua essência periférica, que se despertou nos bolsões de pobreza da Jamaica a partir do início do século XX.

“As peças foram pensadas com o objetivo de contar, de forma simples e acolhedora, um pouco da força e essência da obra e vivência Rastafari de Bob Marley e sua importância pra história do Reggae e da música mundial”, destacou Jah Reginaldo Titu.

Perfil 

Conhecido como Jah Reginaldo Titu (referência à vivência rastafari e à palavra “atitude”), Reginaldo França é joseense e ex-aluno das oficinas da FCCR. Desde cedo, esteve em contato com o grafitti, marcenaria, pintura e decupagem. Já expôs seu trabalho em comunidades do Rio de Janeiro e Minas Gerais, foi premiado e, atualmente, tem grafittis expostos na Escola Estadual Sônia Maria Alexandre Pereira.

“Sou um artista periférico  de origem humilde, filho e neto de agricultores, que perdeu o pai aos 11 anos de forma inesperada. Encontrei muito conforto no desenho, força e mensagens restauradoras em Jah, na música reggae e, posteriormente, no contato mais profundo com os valores rastafari”, contou.

 

NACD – Centro da Juventude                         
Rua Aurora Pinto da Cunha, 131 – Jardim América             

(12) 3932-8709

Publicado em: 03/05/2019

Programação

Links