Fundação Cultural Cassiano Ricardo


O jazz é uma das modalidades oferecidas nas oficinas de férias, que tiveram início nesta segunda-feira (14) / Foto: Divulgação

“Adorei a ideia das oficinas de férias. Eu já tinha participado das oficinas regulares de yoga e dança de salão, mas essa é a primeira vez no jazz. É ótimo pode exercitar, relaxar e extravasar, tudo na mesma atividade, traz um benefício para a nossa mente e nosso corpo”. A declaração entusiasmada é da aposentada Anastácia Midori Yamazaki Nakazoni, de 58 anos, uma das muitas participantes das 69 oficinas culturais de férias, oferecidas pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo.

A programação começou nesta segunda-feira (14) e prossegue até o dia 25 de janeiro em 12 locais diferentes da cidade, sem necessidade de inscrição. A participação é permitida a partir dos 6 anos. Anastácia participou da oficina realizada na Casa de Cultura Tim Lopes, no Bosque dos Eucaliptos (região sul). Ao todo, há oficinas em 26 modalidades. Confira aqui a programação completa das oficinas, com os locais, datas e horários disponíveis.

Segunda explicou a orientadora Glaucia Fernandes Ribeiro, o jazz oferece muitos benefícios, principalmente para os adultos. “Muitas vezes eles procuram o jazz por orientação médica, tanto para questões emocionais como físicas. E em pouco tempo conseguem realizar movimentos que antes não conseguiam. Isso traz muita satisfação para eles”, enfatiza Glaucia.

“Já para as adolescentes, o jazz ajuda muito na parte física e na autoestima, além de combater a preguiça e a ansiedade”, destaca Glaucia. “O jazz é tudo para mim, eu amo a dança e eu recomendo para todo mundo, porque é um bem-estar na minha vida”, conta Franciela do Carmo Santos, de 20 anos, que já é aluna de jazz, há cinco anos, na oficina regular da modalidade, realizada durante o ano na CC Tim Lopes.

Lian Gong

No Centro da Juventude, no Jardim América (região sul), também pela manhã, a professora de circo Ellen Moreira, de 32 anos, decidiu conhecer e começar a praticar uma atividade nova para ela, o lian gong. A oficina é coordenada no local pelo Núcleo de Ação Cultural Descentralizada (NACD) da Fundação Cultural.

“É bem relevante para minha área, pois os movimentos são terapêuticos e podem ajudar contra lesões, no fortalecimento e lubrificação das articulações. E com a meditação também ajuda na parte mental. Foi muito relaxante e importante culturalmente conhecer essa prática, pois é uma atividade física bem restauradora e agradável”, destacou Ellen Moreira.

O lian gong foi criado em 1974 pelo médico ortopedista chinês Zhuang Yuan Ming e é um dos primeiros sistemas de prática corporal oriental, que integra a tradição milenar das artes corporais chinesas aos modernos conhecimentos da medicina ocidental.

A modalidade no local foi orientada por Edna Inês Fernandes, que ensina a prática oriental há 3 anos. “Na aula de hoje ensinei três práticas. A primeira foi a percussão para a vitalidade. A segunda foi para a parte posterior do corpo e a terceira um treinamento perfumado, uma meditação em movimento, que elimina as energias perversas”, explicou a orientadora.

 

Fundação Cultural Cassiano Ricardo
Av. Olivo Gomes, 100 – Parque da Cidade – Santana

(12) 3924-7300

Publicado em: 14/01/2019

Programação



Links