Fundação Cultural Cassiano Ricardo

Mestre Zé da Viola, orientador de oficina que recebe grande admiração por parte de seus aprendizes

As oficinas culturais da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, realizadas o ano todo por meio do Programa Arte nos Bairros, oferecem à comunidade muito mais do que uma iniciação cultural. Elas também contribuem para o aprimoramento do conhecimento cultural, geram oportunidade profissional, revelam talentos e estimulam a relação interpessoal entre os participantes.

Nesta segunda-feira (5) termina o prazo de inscrição para uma primeira fase de oficinas voltadas para aprendizes (nível básico). Em breve será aberto um novo período de inscrição para uma segunda fase de oficinas, voltadas para o nível intermediário e avançado.

Inscreva-se aqui
Consulte aqui o edital

Bons exemplos

Murilo Sousa é um bom exemplo de como a iniciação cultural contribuiu para direcionar seus passos futuros. “Participar da oficina de coral aos 14 anos despertou meu interesse em querer ser um profissional de canto”. Hoje, aos 27 anos e bacharel em canto, Murilo está de malas prontas para a Alemanha, onde participará de um festival da modalidade. Ele ainda acumula no currículo uma apresentação nos Estados Unidos e participação em diversos festivais no Brasil.

Glaucia Ribeiro é orientadora de oficinas de dança na Fundação Cultural há 15 anos e explica que as aulas não agregam só conhecimento cultural à vida dos alunos. “É um aprendizado muito amplo, em que eles não aprendem só dança, mas também disciplina e responsabilidade”. Virtudes que, de acordo com Glaucia, são sempre lembradas pelos ex-alunos quando a encontram.

Em certos casos, o convívio entre o orientador e os alunos ultrapassa o âmbito das oficinas. Na Casa de Cultura Rancho do Tropeiro Ernesto Villela, no distrito de Eugênio de Melo, os alunos da oficina de viola passaram a acompanhar o orientador Zé da Viola em todas as suas apresentações artísticas.

“O Seu Zé é uma religião”. É assim que dona Leni Moreira, de 60 anos, se refere ao mestre, seu orientador do instrumento musical há três anos. A convivência com o Zé da Viola, além de música, a ensinou muito sobre simplicidade, paciência e humildade. “É tão bom conviver com ele, que toda apresentação que tem, eu vou atrás”.

Boa estrutura

As oficinas possuem duração de dez meses e apesar de em alguns casos culminar no seguimento artístico profissional do aluno, elas não contam com obrigatoriedade de formação artística ou evolução para níveis intermediários e avançados.

Além da variedade de oficinas culturais, o programa Arte nos Bairros conta com teatros equipados, salas com piso especial para dança, ateliê de artes, além de espaço para atividades circenses. A estrutura, além da qualidade dos orientadores, faz com que as oficinas ofertem uma qualidade que pode até ser comparada a instituições privadas, porém, de forma totalmente gratuita.

 

Fundação Cultural Cassiano Ricardo

Av. Olivo Gomes, 100 – Parque da Cidade – Santana

(12) 3924-7300

Programação

Links