Fundação Cultural Cassiano Ricardo

Peças da exposição "Meu mundo é de papel". Foto: Charles Moura

O Museu do Folclore de São José dos Campos realiza a partir do dia 21 de maio a exposição temporária “Meu mundo é de papel”, da artista popular Eunice Coppi, mineira da cidade de Sabará. A exposição terá 163 figuras feitas de papel e goma (de polvilho azedo), pintadas com tinta látex e verniz (usado no acabamento). Cada figura representa um personagem caracterizado com roupas, sapatos e enfeites. A mostra é gratuita e poderá ser visitada até o final de julho.

A exposição está inserida na programação da 15ª Semana de Museus, promovida anualmente pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em celebração ao Dia Internacional de Museus (18 de maio). Ao todo, participam da programação 1.070 museus e instituições de memória de todo o Brasil. O tema deste ano é: ‘Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus’.

Confira mais fotos aqui

Confira vídeo da artista aqui

Lembranças da infância

Segundo Eunice, suas figuras retratam personagens e objetos do tempo da sua infância e também das manifestações folclóricas (como a Congada, por exemplo) que acompanhou durante o tempo que frequentou o Projeto Piraquara, da Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR), onde aprendeu a técnica de empapelamento.

“Minha inspiração para fazer as figuras de papel (que medem de 30 cm a 1,5 m) veio dessas experiências no Piraquara, onde aprendi a fazer os bonecões. Depois de um tempo resolvi criar figuras menores usando os mesmos materiais, menos a taquara. Já faz mais de 20 anos que eu faço esse trabalho”, conta Eunice. Antes disso suas figuras eram feitas de argila.

Eunice mora em São José dos Campos há mais de 40 anos, é casada e tem três filhos (já adultos). Ela cresceu na roça e trabalhou na casa de conhecidos quando era criança. Aprendeu a fazer brinquedos de barro e palha de milho com uma senhora chamada Inácia, amiga da sua avó, Maria da Conceição. Só começou a ler quando se tornou adulta. “Minha vó foi muito importante na minha vida e meu marido Geraldo é meu grande incentivador”.

Três espaços

A exposição estará distribuída em três espaços do Museu do Folclore: na Sala Brasil ficarão figuras representando uma roda de capoeira, com exibição de vídeo sobre o tema; na Sala das Tecnologias serão colocadas figuras retratando um grupo de Congada, com exibição de um minidocumentário sobre a artista; e no espaço do presépio (área externa) figuras de um festejo.

Para a museóloga do Museu do Folclore, Ana Silvia Bloise, responsável pela curadoria da exposição, “as figuras de Eunice são movimento, expressão, coloridas e repletas de detalhes curiosos que atraem o nosso olhar”. “Conhecer um pouco do seu trabalho por meio dessa exposição será um privilégio para todos nós”, destaca.

O Museu do Folclore está localizado no Parque da Cidade, na Avenida Olivo Gomes, 100, em Santana. Ele foi criado há 30 anos pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR) e sua gestão é feita pelo Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP). Mais informações pelo telefone 3924-7318 ou pelo site www.museudofolclore.org.

Links