Fundação Cultural Cassiano Ricardo

 

O edifício da atual Biblioteca Pública Municipal de São José dos Campos surgiu a partir de sugestão de uma comissão municipal que, em 1907, propôs a construção de um teatro para a cidade. Em 24 de dezembro de 1910 foi inaugurado o então chamado Theatro São José, construído em estilo eclético, que teve como construtor o Major de Finis, como mestre de obras Graciano Facchini e como proprietário Bertolino Leite Machado. Durante as décadas de 1910 e 1920, esteve no centro da vida cultural do município, funcionando também como cinema e local para bailes populares.

 

Embora tenha sido um dos poucos meios de lazer do joseense até a década de 1940, já a partir dos anos 1930 o Theatro São José passa a ser alvo de ataques do jornal Correio Joseense, que criticava a falta de higiene de suas instalações. De fato, a importância de reduzir os riscos de contágio da tuberculose e a condição de estância hidromineral e climatérica da cidade não recomendavam que estivesse em operação um teatro concebido como aquele: fechado, sem ventilação e sem luz direta. Além disso, com o crescimento da cidade, queria-se ter um cinema “à altura de seu desenvolvimento”. Tal foi a campanha e a pressão que, em 1940, o prefeito sanitário (como eram chamados os prefeitos de estâncias como São José dos Campos) mandou fechá-lo. No mesmo ano, foi construído o Cine Paratodos, e o prédio do Theatro, desapropriado, passou a ser patrimônio público.

 

Em 1941, após sofrer uma série de reformas e adaptações, instalaram-se nele a Prefeitura Municipal e a Câmara Municipal. No final da década de 1980, com a mudança da Prefeitura para o atual Paço Municipal, o antigo Theatro São José passou a sediar a Biblioteca Pública.

 

No decorrer dessas alterações de uso, o edifício sofreu várias modificações em seu interior: foi dividido em dois andares, fizeram-se diversas outras compartimentações internas e criou-se um anexo que interferiu negativamente na fachada.

 

Em 1986, por intermédio do Comphac (Conselho Municipal de Patrimônio Histórico e Artístico e Cultural), o edifício se tornou o primeiro imóvel do município a ser preservado por lei (Lei municipal nº 3142/86, de 09/06/1986). Na ocasião, foi classificado como EP-1 (Elemento de Preservação 1), o que impedia qualquer modificação mais radical e dificultava adaptações. Para que se pudesse realizar a sua restauração, foi necessário modificar a sua classificação para EP-2 (Lei municipal nº 5467/94, de 12/05/1994).

 

O projeto de restauração, feito sob orientação do Departamento de Patrimônio Histórico da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, propôs que o interior da Biblioteca Municipal Cassiano Ricardo trouxesse a lembrança de sua época de teatro, com os seus camarotes e galerias, porém adequados ao uso de uma biblioteca, com materiais mais atuais, como telas e estruturas metálicas e acrílico, entre outros.

 

Como resultado de uma pesquisa técnica que buscou as cores originais do prédio, este foi pintado na cor amarela, com detalhes em branco, visando sua melhor visualização.

 

As obras de restauro e ampliação foram executadas pela empresa Sérgio Porto Engenharia e concluídas em dezembro de 1996, sob contrato com a Prefeitura Municipal de São José dos Campos e supervisão do Departamento de Patrimônio Histórico, após aprovação do Comphac.

 

Em 2003 foi realizada nova reforma, com a colocação de pisos nos passadiços e a climatização com sistema de ar condicionado central, além de nova pintura.

 

 

 

 

Programação



 

Links