Fundação Cultural Cassiano Ricardo

A Capela de Nossa Senhora da Conceição Aparecida foi construída em 1908, próximo ao mercado municipal. Neste local já houvera uma capelinha de mesmo nome, a capela da sede da chácara pertencente à família Cursino. O terreno para a construção da primeira capela fora doado por Manoela Maria de Jesus, sogra de Francisco Alves da Silva Cursino, para Nossa Senhora de Aparecida. Essa era uma atitude comum no Brasil, a doação de uma capela a um santo. Era feita em cartório, havendo uma escritura de doação – no caso, em nome de Nossa Senhora Aparecida.

Em 1906, Manoela de Jesus também doou com o mesmo fim um prédio que faz divisa com a lateral esquerda da capela. Este quarteirão passou a ser de propriedade da capela e a ser administrado pelo zelador por ela indicado. Com os recursos vindos dos aluguéis do prédio construiu-se uma capela maior no lugar da antiga.

Em frente a ela havia um largo, chamado de Largo d’Aparecida, com um bebedouro para os burros de tropas, cavalos e bois de carro que vinham da zona rural e das Minas Gerais trazendo produtos hortifrutigranjeiros para a venda no mercado.

Nesta capela eram realizadas festas, terços, reuniões e catecismo. Também eram realizadas atividades para a igreja matriz, como curso de 1ª Comunhão, ministrado pela Dra. Dirce de Melo. Havia ali uma sala de milagres e várias imagens de santos, que tinham sido doadas ao longo do tempo.

Foram oito os zeladores que cuidaram da capela enquanto era particular, todos fazendo parte da família Cursino. Em 1949, estando na zeladoria Francisco Cursino Andrade, bisneto de Manoela, promoveu este uma série de reformas nos prédios ligados à capela (antigos nºs 15 e 17) e nela própria, por estarem em condições precárias.

Na década de 1980, foi a capela doada à Mitra Diocesana de Taubaté, com a condição de lá serem realizadas missas pela paróquia da matriz. Passou então a receber a visita de um pároco para celebrar missas e também para sediar reuniões da Sociedade São Vicente de Paula. A Mitra de Taubaté começou a utilizar o salão comercial ao lado da Capela (salão esse cuja renda era revertida para a construção da diocese de São José dos Campos – Igreja São Dimas) e o transferiu a Manoel Pereira, restando à Capela Nossa Senhora Aparecida somente a área onde está construída e o jardim à sua frente. Naquele salão passou a funcionar uma gráfica. Tempos depois, foi demolido, transformando-se num estacionamento

Em 11 de Agosto de 1988, a capela se tornou um prédio preservado de categoria EP-1, através da Lei Municipal N.º 3.366/88.

Em 27 de Novembro de 1997, foi realizada uma permuta que estabeleceu a propriedade e responsabilidade da área da igreja e edificação ao poder público.

O DPH, em 1998, executou um sistema de travamento nas paredes, através de uma cinta de concreto, e fez também projeto de restauração para a capela.

Em 2003, foi executada a consolidação estrutural da capela, a troca da cobertura a reconstrução do arco cruzeiro, a troca do piso e de parte das esquadrias, e foram refeitos os revestimentos interno e externo, excetuando-se as modernaturas. Em 2004, foi iniciada a restauração da Capela pela empresa Sudeste Engenharia com acompanhamento do DPH, sendo ela entregue à população em 2005.

 

Programação

Links